Cavalgando por nossas matas e serras

No Dia da Árvore, quando falamos em preservação da natureza, lembramos das matas, florestas e serras do Rio de Janeiro, estado com geografia privilegiada que permite o chamado Turismo Equestre, que são passeios e trajetos feitos sobre um cavalo. Normalmente, as cavalgadas são realizadas em grupos, percorrendo locais que nem sempre podem ser acessados de bicicleta ou jipe, por serem caminhos muito acidentados ou de mata fechada.

Dependendo do trajeto, a cavalgada tem graus de dificuldade diferentes, ou seja, às vezes é necessário ser um cavaleiro experiente e ter um bom preparo físico. Fora os cuidados básicos com os animais, como descanso, alimentação, água e serem adequados para o percurso.

No estado do Rio, em um dos passeios conhecidos, a cavalgada percorre trechos da Estrada Real (a maior rota turística do país com mais de 1.630 quilômetros de extensão, passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, caminho mais famoso do Brasil Colônia) no encontro das Serras do Mar, da Bocaina e Quebra-Cangalha, quase divisa com o estado de São Paulo, tendo a Serra da Mantiqueira ao fundo. Um cenário e tanto.

Outro passeio que também encanta começa no coração da Mata Atlântica do Rio, atravessando rios, cortando serras, campos e fazendas e termina em Búzios, praia internacionalmente conhecida, na região do Lagos do estado.

Para não ter surpresas desagradáveis na aventura é recomendável procurar operadoras de turismo especializadas nesse tipo de passeio. 

Fontes: www.abeta.tur.br

              www.calvadasbrasil.com.br